sexta-feira, 20 de maio de 2016

Sabão de Sal

O sabão com sal diz-se ser muito benéfico para a pele, costuma ser usado como exfoliante, e para  limpeza de energias.Ao adicionarmos diferentes sais, que pode ser sal marinho, sal dos Himalaias... (dizem que não se deve usar sal de epson, porque fica uma mistela mole :P ) temos sempre um produto diferente, mesmo que a base de gorduras seja mesma. Se lhe juntarmos outros aditivos como óleos essenciais, ou plantas vai enriquecer e diferenciar ainda mais. 
Confesso que este é o meu primeiro sabão de sal, nunca senti o "chamamento" :) , até agora. Então resolvi ir pesquisar um bocado pela net, como faço sempre.
Conforme o país, a cultura e as matérias primas disponíveis, as características ideias para um sabão mudam.
Existem algumas "regras" seguidas ou aconselhadas por saboeiros experientes, que podem ou não ser seguidas, até porque sei de algumas formulas de sabão de sal que subvertem quase na totalidade estas ditas regras e ainda assim, ou por essa razão, são excelentes sabões. 
Vou enumerar aqui algumas dessas regras e no fim partilhar esta 1ª experiência. 
Assim, dizem que um sabão de sal:
  1. Devem ser feitos em CP;
  2. Pode ser mais agradável e seguro usar sal mais fino, pedaços de sal grosso podem ferir a pele. Pode ser preferível moer um pouco mais o sal que vai usar;
  3. Deve ter uma percentagem muito maior de óleo de coco, do que a que normalmente se aconselha(em sabões normais apenas até 30%), porque o sal diminui enormemente a quantidade de espuma;
  4. A percentagem de óleo de coco deve ser entre os 70 e os 90 % (mas há saboeiros que fazem com menor % de óleo de coco e outro que fazem com 100% de óleo de coco);
  5. Para compensar esse aumento de óleo de coco deve ter um SE bastante alto (similar aos sabões de coco);
  6. O SE deve ser entre os 10 e os 20 % para compensar a secura ou o excesso de limpeza ou o efeito mordente do óleo de coco saponificado;
  7. A percentagem de sal utilizado pode ser calculado em relação ao peso das gorduras, ou em relação ao peso de sabao: de 50 a 100% do peso (das gorduras ou do sabão) em sal, (mas há saboeiros que usam uma percentagem menor);
  8. O sal deve ser adicionado em traço leve; após este ser adicionado pode começar a engrossar e endurecer muito rapidamente, tenha os moldes prontos;
  9. Pode ser necessário aumentar um pouco a percentagem de óleos essenciais ou de óleos de fragrância, devido à quantidade de sal utilizada, que vai diminuir a performance dos aromas;
  10. O sabão de sal costuma endurecer muito rápido, consoante as percentagens e  gorduras usadas pode estar pronto para desenformar e cortar em 2 horas; pode optar por moldes individuais;
  11. A quantidade de agua utilizada na diluição do hidróxido de sódio varia de saboeira para saboeira, mas em geral concordam com uma concentração por volta dos 32%, embora haja quem utilize a regra da divisão do peso dos óleos por 3, uma outra saboeira utiliza o mesmo valor do peso do hidróxido de sódio em agua (fica uma solução bastante concentrada, principiantes podem ter alguma dificuldade em trabalhar...ou não. :) )
Penso que estas são as "regras" principais para um sabão de sal... abaixo, o PAP  do meu sabao de sal dos Himalaias. 




Importante: Antes de iniciar limpe a bancada de trabalho, coloque o equipamento de segurança e prepare os materiais. Usar recipientes resistentes ao calor, nunca usar alumínio, utilizar utensílios e panela de inox.)

Os ingredientes:
 óleo de coco - 300 g (60%); azeite 175g (35%); óleo de rícino 25g (5%) =  total de gorduras 500 g
sal rosa dos Himalaias: na proporção de  50% do peso das gorduras = 250 g
SE de 20% = 65 g de hidróxido de sódio
Agua 139 g (concentração a 32%)
aditivos opcionais:
óleos essenciais: 20 ml Pau Rosa; 20 ml Gerânio; 5 ml Sandalo
Dióxido de titânio e óxido vermelho (foi a "olhómetro")...  não é a melhor forma de medir...
Eu moí o sal um pouco mais

Pese todos os ingredientes e reserve.

Leve o azeite com o óleo de coco ao lume, dentro de uma panela de inox, em banho-maria, para derreter e aquecer.


Misture o hidróxido de sódio com a água destilada: Deitar o hidróxido de sódio sobre a água (nunca ao contrario) e mexer para misturar e dissolver (cuidado com os vapores libertados nos olhos e não os inalar!). Mexa com uma colher de plástico apropriada ou de inox, até dissolver. A mistura vai aumentar muito de temperatura, mexer para dissolver a soda cáustica. Deixe arrefecer um pouco, até a temperatura estar próxima da das gorduras. 


Deite a solução de hidróxido de sódio na mistura de gorduras e vá mexendo com uma colher



 Com uma varinha mágica vá mexendo a mistura, alternado o “bater electrónico” com um “mexer manual”, 

.até obter uma massa tipo maionese (é o traço).  


Assim que atingir este ponto, misture o dióxido de titânio (previamente diluido num pouco de agua), mexendo com a colher ou ajudar com a varinha para misturar bem.





Junte o sal e mexa

Juntar os óleos essenciais

Diluir o óxido com um pouco de óleo e juntar a uma porção de massa de sabão (antes da adição de sal)

coloquei um pouco de massa colorida de vermelho no fundo dos moldes (usei moldes de silicone, individuais não só por comodidade mas pelo formato)


encher as formas com a massa branca com o sal misturado


deixei um pouco de massa branca que misturei com o resto da massa vermelha


deitei nos outros moldes


Passadas umas 10 horas desenformei (passaram a noite nas formas, mas ainda bem que não tinha que cortar) 

Agora é deixar curar por pelo menos 4 semanas. 
À vista não ficaram nada de especial :P , mas o aroma é muito agradável. 

Actualização (4/7/ 2016)

Já estou a usar. Muito agradável!, O aroma a gerânio, muito semelhante a rosas, uma delicia! A espuma é abundante. Apenas, uma questão de gosto pessoal: na proxima vez vou moer ainda mais o sal. Quase não se nota, mas quero experimentar com o sal moído mesmo muito fino.

Sem comentários:

Enviar um comentário